A Reforma de Passos Manuel (1836) teve como uma das suas consequências mais relevantes a criação dos Liceus, um em cada sede de distrito. Esse ato levou à fundação de um conjunto de Escolas que ainda hoje perduram.

Com o decurso do tempo, com o aproveitamento dos edifícios que lhes foram inicialmente atribuídos e a posterior e quase generalizada construção de novo, ou novos, edifícios; com a aquisição ou oferta de materiais e de aparatos didáticos; com a formação de um corpo docente e de funcionários permanente e bastante estável; e, finalmente, com a frequência de gerações de alunos, cada escola foi criando a sua identidade própria. Assim, nasceram as tradições, o comemorativismo de iniciativa interna ou estatal, os periódicos escolares, as figuras respeitadas de docentes, o sentido de orgulho de pertença a uma instituição educativa. A memória da Escola nasceu, cresceu, fez-se e refez-se, mantendo-se coerente, ou surgindo em fragmentos alterados, ou remendados pelo tempo. Esta memória é propriedade daqueles que, docentes, funcionários, ou discentes, conviveram algum dia dentro das paredes de cada Escola e, muitas vezes, por escrito, mas, muito mais, oralmente é transmitida ao longo dos decénios, tendo uma vincada caraterística imaterial, que se cruza, com a materialidade dos edifícios escolares, do mobiliário, dos aparatos ou dos materiais.

O Agrupamento de Escolas Sá de Miranda é o herdeiro de um dos mais antigos Liceus portugueses - o Liceu Central de Braga, mais tarde Liceu Sá de Miranda - que entrou em funcionamento em 1845. A Escola Sá de Miranda, briosa da profundidade temporal em que se ancora e consciente da importância do permanente avivar da sua memória, lança mais um desafio a professores, investigadores, alunos ou público em geral: o da celebração da memória (i)material da Escola.

Este desafio, traduzido na realização, nos dias 16 e 17 de novembro próximos, nas instalações da Escola Sá de Miranda, em Braga, do Encontro Preservar a Memória (I) material da Escola, será levada a cabo ombro a ombro com o CITCEM - Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Educação e Memória da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Constituído por conferências de convidados, por comunicações e por oficinas nele se refletirá sobre as seguintes áreas: manuais escolares, bibliotecas, arquivos, aparatos experimentais e outros materiais de ensino e, ainda, construção material das escolas e memória(s).

Destinatários

Professores de todos os níveis de ensino, investigadores, professores bibliotecários, bibliotecários, arquivistas, museologistas e estudantes.

Eixos Temáticos

  • Arquivos escolares e outros com acervo relevante para a escolarização
  • Museus escolares
  • Bibliotecas escolares
  • Manuais escolares
  • Aparatos e outros materiais de ensino
  • Construção material das escolas
  • Memória(s)